segunda-feira, 9 de maio de 2011

Mother's Day...

Hello everybody...

     Depois da correria desta semana, em que estive totalmente ocupado, ora mandando o serviço secreto atrás do Francis e da Elizaveta (efeitos da festa da Páscoa - ainda) e expulsando uns paparazzi por aí (é, a nova mulher do Príncipe William nem pode ir ao mercado *facepalm), achava que iria ter um fim de semana tranquilo e sossegado. Me enganei feio. 


     Sábado realmente foi tranquilo mas o domingo... Imagina ser acordado às 6 da manhã e a cada hora receber ora uma cesta de café da manhã, ora um buquê de flores. Eu queria dormir até mais tarde, mas, depois das inúmeras tentativas, às 8 da manhã estava na cozinha preparando meu café. Achei que iria parar as bizarrices e nem reparei nos bilhetes que vieram nos presentes. Até que, perto das 11 horas da manhã, a campanhia toca e quando abro, sou abraçado por um loiro de óculos mais alto que eu e que berrava nos meus ouvidos:


     - HAPPY MOTHER'S DAY!
     - PELO QUE EU SAIBA, EU SOU SEU IRMÃO E NÃO SUA MÃE. - Completei com um cascudo na cabeça daquele americano energúmeno.
     - Ai, Arthur, doeu. E eu não vim sozinho. - Apontando para um carro que estacionou depois.
     Canadá saiu do banco do motorista, assim como Austrália, Nova Zelândia e até a Seychelles. 
     - QUEM FALOU PRA VCS QUE SOU MÃE? SOU MACHO, CARAMBA!
     - Sei, mamãe! - Disse a Seychelles naquela ironia típica.
     - Calma, Inglaterra, está tudo bem. Você nem vai precisar fazer o almoço. - Disse o Canadá, calmo.


     Resolvi deixá-los entrar e eles foram direto pra cozinha fazer sabe lá o que eles estavam planejando de almoço. (Confesso que fiquei com medo). Sempre que estes doidos aprontam, mandam o Alfred primeiro como batedor. Mas fizeram um almoço muito gostoso (Canadá e America fizeram questão de deixarem o Australia e a Seychelles longe da pia e do fogão - ninguém realmente queria morrer). Achava que seria apenas um almoço em família, até aparecer Scotland. É, meu irmão troll. E estava acompanhando por um certo loiro de olhos azuis, barbas por fazer e roupas francesas. Preparei o melhor soco inglês e as melhores armas. Aquele sun of bicth era meu alvo. Digamos que o encontro não terminou bem.

     Os vizinhos, incomodados, chamaram a polícia e ainda o Alfred filmou toda a briga. Nem conto como fizemos para não dar B.O. . Por causa disso, perdi meu chá das 17 horas. (rage)
     Para variar, descobri quem foi o troll que falou que eu sou mãe, o que não é verdade (não sou mulher, para começo de conversa): obra do Scotland troll, que, sem nada pra fazer, resolveu trollar seu irmão. Além disso, o Francis ajudou - e muito - e não sei como aqueles cinco cairam na lábia deles. No final, Canadá e Nova Zelândia tiveram que fazer curativos na gente, enquanto o Alfred botava o vídeo da briga no youtube.
     Saíram à noite, não antes de eles fazerem o jantar (visto que eu estava machucado e o Francês fedido também). Perto do que teve a tarde, foi um jantar normal (com Seychelles me cutucando, Alfred se achando, Matt sumindo, Australia dando comida pro seu coala, Nova Zelandia dormindo num canto, Scotland bebendo e Francis me cantando - Bônus: Kumajirou comendo e bebendo junto com Scotland).

      Na despedida, Zea me disse algo que, apesar da confusão, eu fiquei tocado:
      - Às vezes, mãe não é aquela que nos bota no mundo, mas alguém que cuida da gente.
      Sempre me imaginei como irmão mais velho deste povo. Não sou pai, nem mãe, mas os ajudei como pude (bem, às vezes não).
      Fiquei com aquela sensação de alívio quando eles saíram de casa. Agradeço até o que eles fizeram, mas, FICAR ME ACORDANDO DESDE AS 6 DA MANHÃ COM CAMPAINHA TOCANDO, ME CHAMAR DE MÃE E AINDA TRAZER O FRANCIS BONNEFOY PRA MINHA CASA FOI O CÚMULO DO ABSURDO! Podem aparecer para mais um almoço destes, contanto que não convidem o indesejável nº 1 (não, não é o Harry Potter, nem vou responder sobre isso).
     Pelo menos à noite, pude tomar meu chá tranquilamente. Sem visitas inesperadas.


See you soon...

[Off: Desculpem o post fail de Dia das Mães, mas precisava criar algo com isso e inventei essa história sem pé nem cabeça...D:]
 

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Day after, wedding and Bin Laden!

Hello everybody,

     Para vcs verem, a semana realmente foi cheia. Primeiro, vamos aos fatos da Páscoa. Eu, Kiku e Alfred acordamos na manhã seguinte com aquela ressaca histórica. Bom, o Kiku foi o primeiro a acordar, mas aparentemente ele estava embaixo de mim enquanto o Alfred estava de ponta-cabeça na cama com as duas pernas nas minhas costas. Resumindo: Nihon estava preso. Ao tentar sair, foi pisar no chão e pisou no peixe da Seychelles, escorregou e bateu a cabeça na cabeceira da cama. O barulho foi alto o suficiente para que eu e Alfred acordássemos. Notamos que estávamos só de cuecas na cama que mais parecia umy ninho de rato. Do lado que o Alfred saiu, tinha uma canoa onde ele conseguiu tropeçar e ficou de cara com a janela, coberta pela cortina preferida dele. Porém, tinha um animal provindo da Austrália que estava comendo a tal cortina. Lógico que isso virou motivo de escândalo.(E um motivo para o America convocar o FBI e investigar o caso). Fui procurar o Honda, já que estava atordoado ainda e o encontrei caido na caixa cheia de tomates e laranjas podres. Quando eu ajudei-o a se levantar, ele encontrou uma calcinha de rendas vermelhas (que até agora o dono, ou dona, não se pronunciou). Enquanto isso, o Alfred foi lamber o chocolate que ainda saia da fonte, mas ele queimou o dedo e quase criou uma 3ª Guerra Mundial no quarto.
       Até nós acalmarmos ele, fomos ao banheiro para jogar água fria, mas o Alfred trombou num piano que estava no meio do quarto (não sabemos como o piano não quebrou), pisamos em um monte de roupas (algumas de gosto duvidoso - só pode ser do Francis), pisei na aba de uma frigideira e escutamos um pio de um  limão coberto de chocolate (doeu pra burro, ainda mais quando o tal "limão" resolveu bicar meus pés e do Kiku), o Alfred deu conta de escorregar em uns canos espalhados e chutar em um escarpin de gosto duvidoso. Para piorar, se demos conta de que, além de estarmos de cuecas, o Alfred estava com um cachecol bem suspeito com marcas de batom vermelho e o Kiku estava de peruca verde bem estranha. Mas notei que nós três tinhamos unhas pintadas de rosa com gliter. *imaginem gritos de terror
     Fomos correndo para o banheiro-suíte do quarto procurar se o Alfred por acaso tinha acetona e nos deparamos com aquela cena que vai ser difícil sair de nossas mentes: Matt e Lady Gaga na banheira. Os dois estavam numa posição muito surreal para nós pararmos de olhar. Mas o Kiku conseguiu sair do transe, olhando para pia, que estava num estado lastimável de comida italiana de pobre. Na tampa do vaso sanitário, tinha uma carteira cor de rosa bem suspeita e uma câmera fotográfica. Cenas tensas estavam registradas nela (só vou postar algumas, não todas). Teve uma do Yao de batom vermelho beijando o Ivan que, de tão assustadora, prefiro ver a Rainha Elizabeth com aquele figurino de Gilbird do casamento. Como o dono não se manifestou, o Kiku pegou as fotos mais interessantes e deletamos o resto.









      Só não sonhei mais pesadelos esta semana porque teve o casamento do Principe William (é, tipo, ver o Príncipe Charles e a atual esposa e ainda ter estômago para comer caviar não é pra qualquer um). Pelo menos o bolo de chocolate estava ótimo e a organização, divina. Minha ressaca depois da festa não foi tanta quanto a da Páscoa, mas ainda sinto alguns flaches nos olhos por causa daquela roupa da Rainha. Por falar nisso, pra variar, o Francis não gostou do vestido da noiva, mas quem é ele perto da marca Alexander McQueen. Somente um terrorista do bom gosto pra falar mal, é claro. Por falar no casamento da semana, descobri onde os pombos vão passar a lua de mel, porém, a imprensa também está sabendo, então não é novidade. Sim, eles vão pra Seychelles. *facepalm SEYCHELLES, SE VC NÃO OS TRATAR BEM, SUAS ILHAS IRÃO AFUNDAR QUE NEM ATLÂNTIDA. Recado dado. Por falar em Seychelles, o resultado do concurso do melhor ovo de Páscoa: Seychelles ganhou disparado. Já mandei a cesta, Parabéns. *E por favor, pare de mandar coisas estranhas pra mim, o pessoal do zoológico de Londres está ficando maluco com aquele "urso australiano" que vc me deu de presente.
     Por último, nesta madrugada fui acordado por aquele maluco chamado America, que estava alegre e, bem, "se achando".    
     - NOW, I'M THE HERO! - Berrou ele no telefone.
     - O que aconteceu? - Falei irritado com voz de sono. Será que o Alfred não tem noção do que significa "fuso horário"?
     - Matei o Osama Bin Laden!
     - WHAT?! - Berrei incrédulo no telefone.
     Enquanto ele explicava como foi a operação, eu pensava com meus botões em quantas pessoas morreram por causa deste indivíduo. Lembro como se fosse ontem, aquela data fatídica, do Alfred ferido. Lembro também dos londrinos em Londres, nos trens e nos ônibus de dois andares (símbolo de nossa cidade), que o grupo que este indivíduo comandava arquitetou suas mortes. De tantas vezes que falaram que ele morreu e não estava. Das buscas, das guerras no Oriente Médio. É doloroso lembrar de tudo. Pedi para ele me mandar uma prova...E ele mandou. Agora não sei o que realmente sinto. Sei que vai ter volta e, portanto, ordenei alerta máximo em todas as nossas fronteiras, aeroportos, embaixadas, tudo. Sentimento de justiça feita, talvez? Na cabeça do Alfred sim, mas na minha...
     Agora vou ver se tomo meu chá....

See you soon...

Ps - Ainda não lembro o que ocorreu na festa da Páscoa...


[Off: desculpem pelo post fail e enorme...kkkkk...Espero que gostem]