domingo, 11 de setembro de 2011

I never forget...

Good afternoon, people,

     Mesmo do fundo do mar (estou ainda nos Reinos do polvo Paul), senti que hoje precisava visitar uma pessoa. Lembro muito bem do dia em que esta pessoa ficou muito ferida. Seriamente ferida. Atingiu a todos de surpresa, inclusive a mim. E precisava ajudá-lo de alguma forma. Embora não aparenta, ele ainda sente muito. Enquanto caminhava até a casa do América, flashes daquele dia apareciam em minha mente. Parecia mais um filme catástrofe de Hollywood, mas que, infelizmente, foi uma realidade, muito cruel por sinal.
     O telefone tocando em minha casa era constante naquele dia. As redes de televisão só falavam naquilo. Naquelas imagens medonhas. Nas fotos das vítimas. E eu não podia viajar para a casa do Alfred justamente pelo risco de mais atentados com aviões. O desespero de não poder ajudar um irmão, um aliado que estava acamado e ferido. Não somente no corpo, mas ferido na alma. Esta maldita ferida que nunca cicatriza.


     Cheguei na casa do Alfred esperando o rapaz de sempre (alegre, extrovertido) atender a porta. Mas não se deve esperar muito quando a data da visita for o fatídico 11 de setembro. Bati na porta, mas ninguém atendeu. Achei estranho, mas nem tanto. Talvez ele estivesse ocupado com o chefe dele, nas homenagens às vítimas. Então fui dar a volta por fora da casa dele, andando pelo jardim, até encontrar ele sentado numa cadeira de balanço (nem sei como ainda estava lá de pé, mas estava boa e suportando bem o menino grande que o Alfred havia se tornado - montei muito bem essa cadeira XD). Ele estava de costas e nem percebeu que me aproximava dele. Percebi que ele usou um dos braços para enxugar suas lágrimas.
     - Alfred... - Chamei.


     Ele se virou, mas não parecia o rapaz grande que havia se tornado e sim um garotinho assustado. O mesmo garotinho que cuidei uma certa época. Até ele se tornar grande o suficiente para ser independente. Aproximei-me mais e mostrei o buquê de flores que trouxe comigo. Na verdade, queria levar este buquê para o Marco Zero e ser apenas uma simples homenagens às vítimas daquele dia macabro. O rapaz levantou do balanço, deu a volta, e me abraçou sem mais nem menos. 
     - Você sempre vem aqui neste dia, Arthur. Por quê? - Perguntou, quase chorando novamente.
     - Porque sempre serei um ombro amigo pra te ajudar, Alfred. Além disso, muitos ingleses morreram também. 
     - Essa guerra não acabou ainda, né? - Perguntou isso, ainda abraçando-me.
     - Não, infelizmente não. Somos muito diferentes para aqueles que querem nos destruir. Além disso, acho que nem nós os conhecemos o suficiente para chegarmos a algum entendimento sem ter guerras. Eles mesmo não se entendem.


     Passou-se alguns minutos de silêncio. Até que o Alfred parou de me abraçar e voltou-se para sua casa. Não antes de falar para mim.
      - Ainda dói muito, Artie.
     - Ainda vai doer. Podem passar os anos, mas não para de doer. Quem apanha não esquece, Alfred. Lembre-se disso. - "E é por isso que devemos pensar muito bem antes de iniciar uma guerra, Alfred.", pensei comigo mesmo.
     Fiquei mais um pouco na casa do América. Confesso que o rapaz neste dia estava bem desanimado, tanto que não reclamou quando fiz o almoço. Estava mais calado do que o costume. Depois fomos nas homenagens. Deixei meu buquê de flores no Marco Zero do World Trade Center. Pelas vítimas inocentes, que pagaram um preço por terem trabalhado e vivido na "terra da liberdade". Nem todos tem a mesma visão de mundo que nós. O certo e o errado podem mudar de acordo com esta visão. Assumo que nós, ocidentais, não somos santos. Mas temos princípios que devem ser protegidos e um destes é a liberdade. Algo que muitos povos desconhecem, não por serem contra nós, mas por terem outros príncipios que para nós são estranhos. Cada um protege o que lhe convém. E às vezes, não tem acordo. Lamentável.


      Espero ter notícias alegres no próximo post.
See you soon.

[Offa: Espero que gostem, idependente de serem "haters" dos americanos ou não. Só sei que nesta "Guerra ao Terror" os ingleses foram bons aliados dos americanos e seria estranho se eu não fizesse um post sobre o assunto. - Embora o fator "inspiração" foi importante. - Independente do papelão da política externa americana ou não, as vítimas daquele dia fatídico não mereciam aquilo e merecem serem lembradas. Tem um pouco da minha visão sobre o assunto, mas procurei dar a visão mais dos ingleses e americanos. Para eles não tem essa de negociar com terroristas. E, como países, América e Inglaterra precisam defender o lado deles. - Independente do que os professores comunistinhas de história e geografia pregam em salas de aula aqui no Brasil. Se eu ofendi alguém pelo post, ou por aqui, me perdoem, não era a intenção. USUK implícito XD]

domingo, 4 de setembro de 2011

Waching things with America!

Hello everybody,

     Depois de resolver inúmeros pepinos mundiais e internos (ataques à Londres, Líbia, crise econômica,e tc), volto novamente para postar o meu dia a dia. Mas hoje vou contar um caso que aconteceu comigo durante as revoltas em Londres.
     Era mais um fim de semana normal para um inglês normal quando a campainha toca. Quando abro a porta, a surpresa: Alfred com um mochilão e uma sacola cheia de DVDs. 


     - Você pode assistir comigo? - pediu isso com aquele olhar de menininho pidoncho característico dele.
     - Sobre o que são estes DVDs?
     - Ah, é uns que o Nihon me emprestou. São alguns animes de suspense.
     - Entre. - "Aham, descobri o porquê. Ele tem medo de assistir sozinho filmes de terror. Dammit! Não consigo resistir a este olhar dele."
     Como era uma tarde de sábado, resolvi fazer umas pipocas de microondas, pegar duas garrafas de Heinnekein e fomos à sala assistir os tais DVDs.


     - Ah, eu queria que você assistisse este primeiro. - Apontou para uma coleção de oito OVAs, com o nome de Hellsing.
      - E é bom isso aqui? 
      - Claro que é. Inclusive os acontecimentos dele ocorrem aqui em Londres.
      - Aham, sei. - Peguei o primeiro Ova e coloquei no aparelho de DVD para funcionar.
      O anime é muito bem feito. Inclusive o Allucard enfia o tal Edward Cullen purpurinado no chinelo, pisoteia e ainda cospe em cima. Faz tempo que eu não via um principal tão "fuckyeah". Porém, a diversão não estava apenas na qualidade da história e nos personagens do anime (inclusive, não sei se aguento esperar 2 anos para sair as 2 últimas partes destes OVAs). A diversão era ver o América se assustar com coisas mínimas, ou tapar os olhos com o travesseiro nas cenas de 1342346876 litros de sangue. Fora as inúmeras tentativas de me agarrar quando ficava com muito medo. Principalmente quando aparecia o vilão nazista. Eu tinha que me segurar para não ter uma crise de risadas.



      Porém, se parasse só ao assistir os OVAs, tudo bem. Porém, Alfred ficou bem impressionado. A noite, ele ficava olhando pela janela, de vez em quando, e se assustava quando o vento fazia bater um galho de árvore do meu jardim na janela de casa. Mas pensei que quando ele fosse dormir, eu poderia descansar destes surtos de medo (Putz, ele é grandinho de mais, ele não é o Hero?). Ledo engano. No meio da noite, ele apareceu do mesmo jeito quando ele era pequeno: com roupas de dormir, com o travesseiro arrastando pelo chão e pedindo para ele dormir comigo. 
     - Você vai parar com estes surtos?
     Ele balançou a cabeça positivamente como se fosse uma criança de 5 anos e logo se arrastou para minha cama. O problema é que ele me abraçou como se eu fosse um ursinho de pelúcia (P****, E EU SOU HOMEM DE DORMIR ABRAÇADO COM HOMEM?!). Mas tentar se desvenciliar de um cara que consegue levantar e jogar búfalos ao longe é uma tarefa praticamente impossível. No fim eu adormeci, e quando me dei conta, já era manhã de domingo, mas o Alfred já tinha saído de casa.
     Quando fui para a cozinha fazer meu café da manhã com ovos e bacon (que todo inglês que se preze come), encontrei um lembrete do Alfred na geladeira.
     Iggy!!! Thanks por assistir os DVDs do Nihon comigo. Em agradecimento, fiz umas modificações na sua casa, para torná-la mais segura. 

     Ass: THE HERO!

     Ps: Deixei os DVDs na sua casa. O Nihon emprestou eles para o Romenia, então ele irá buscar em breve.

    Ele ainda se chama de hero depois do papelão de ontem?! *facepalm
    Logo que terminei de tomar meu café, eis que o telefone toca.
    - Hi?
    - Iggy, sou eu, Romenia. Você está com uns DVDs de terror do Nihon, né?
    - Yes, então vou buscar. Ah, e você pode dar um recado pro Scotland? Fala pra ele ir me visitar. Quero que ele assista os DVDs comigo. - E desligou o telefone sem se despedir.
     Fiquei ocupado com um monte de telefonemas depois disso. Os revoltosos em Londres estavam espalhando terror e prejuízo pela cidade. A polícia estava fazendo o possível, mas eu ainda fiquei muito revoltado com estes bastardos destruindo a cidade sem motivo. Também estive receoso de que meu bairro fosse atingido por eles (eles estavam destruindo tudo na direção dele D: ). Fui dormir depois de tomar um relaxador muscular por causa do domingo tenso.


     A segunda-feira foi um dia bem, digamos, estranho. É que, quando olhei pela janela, vários dos revoltosos estavam presos pelas "modificações" que o Alfred implantou pela casa. Eram jaulas, cordas, estacas, tudo o que você imaginar, cheia de jovens doidos. O que era para impedir um ataque de ghouls/zumbis serviu para proteger minha casa dos doidos revoltosos. Imagina você de pijama tendo que se explicar para a polícia londrina sem tomar café da manhã? Pelo menos o Alfred fez algo de útil: eu não tive prejuízo destes ataques.
     Porém, na própria segunda-feira, mais tarde, o Alfred ligou.


     - Hey, Igirisu! Que tal no próximo fim de semana a gente assistir um seriado?
     - Que tipo de seriado seria?
     - The Walking Dead. - "Que novidade, um seriado de zumbi", pensei.
     - Humm, não vai dar este fim de semana. - Menti lindamente. - Mas, por quê você não chama o Matt? - Nestas horas eu lembro do rapaz. *facepalm
     - Boa idéia! Ah, e aí, você conseguiu ver minhas modificações?
     - Bem, elas fizeram algo de útil. Conseguiu parar alguns dos revoltosos que estavam destruindo Londres. Mas alguns tiveram que ir pro hospital. 
     - Ah, daqui alguns dias eu volto para melhorar as armadilhas. Eram para ter atingido as cabeças deles.
     - E COMO EU EXPLICARIA QUE ELES MORRERAM, ALFRED? - Nisso, o americano desligou o telefone.
     "Essas crianças de hoje", pensei comigo. E acabei de pensar numa coisa: Alfred assistindo seriado de zumbi com Matt? Vamos ter duas crianças assustadas. O.O

      Por enquanto é só. 


See you soon.

[Offa: Desculpem a demora em atualizar, mas realmente estive (ainda estou, não sei) numa baita crise criativa. A idéia deste post estava enfornada algum tempo, mas depois de muitos imprevistos - incluindo um note FDP troll onde quase perdi o arquivo - consegui fazer. Espero que gostem. Desculpem também os erros de português e inglês inclusos neste post.]

domingo, 10 de julho de 2011

Birthday's Party!

Hello everybody,

     Depois de muito tempo ocupado com algumas coisas urgentes em minha casa, finalmente volto a postar algo aqui neste blog. E já vou começar contando sobre mais um fato que aconteceu esta semana. Ok, não fiquei emando no dia do aniversário do Alfred, mas, tentei preparar algo legal. Tentei.
     Estava eu em minha casa, na segunda-feira, preparando algo na cozinha para o Alfred e o Matt (resolvi fazer uma festa para os dois, já que os aniversários são próximos). Temperei uma carne para fazer um churrasco grelhado naqueles grills que o America uma vez me deu. Comecei a fazer um molho barbecue quando a porta da varanda da cozinha abre e aparece o Francis com um monte de compras. WTF! EU NÃO CONVIDEI ESTE PEDO PRA FESTA!


     - Fiquei sabendo que você está preparando algo especial para os garotos e resolvi participar, mon amour! Além do mais, eles tem que comer algo descente, coisa que você não é preparado pra isso.
     - Vira esse mon amour pra lá! - disse irritado - Eu já estou preparando algo que o Alfred e o Matt gostem. Não tinha necessidade de você aparecer. Isso é para ser só um almoço em família.
     - Esqueceu que eu também faço parte da família? - disse o francês com um sorrisinho sarcástico e abrindo uns pacotes em cima da pia da cozinha para fazer algo da culinária francesa. - Além disso, tomei a liberdade de chamar algumas pessoas.
     Lá se foi a minha idéia de fazer algo simples e somente para os dois irmãos do outro lado do Atlântico. Mas, antes mesmo de pensar em algum plano B, da mesma porta que o Francis entrou, apareceu Austrália carregando um pacote suspeito.
      - Aqui que vai ter uma festa especial para os americanos? - perguntou na cara de pau. - Trouxe carne de crocodilo para experimentarem.
     A única coisa em que eu e Francis combinamos é: carne de crocodilo não é legal. Digamos que na cozinha quase foi declarada uma guerra, mas a campanhia da porta da frente impediu tal problema. Fui correndo atender, enquanto um Francis de avental rosa e um Australia brigavam que nem dois garotos de cinco anos no chão da cozinha.


     Quando abri a porta, não foi surpresa encontrar o Nihon. Fiquei até aliviado: alguém sensato para me ajudar. Ele queria levar o Angel, o coelho que dei pra ele de estimação, embora. Mas, a briga na cozinha despertou sua curiosidade:
     - Você está preparando algo na cozinha?
    - Sim, e dois enxeridos apareceram para estragar tudo. Queria preparar algo legal pro Alfred e pro Matt.
     - Ah, é o aniversário deles! Posso ajudar?
     - Você sempre é bem vindo aqui, Nihon. - disse isso um tanto envergonhado.
     Quando voltamos à cozinha, Francis estava lutando contra o coala de estimação do Australia, enquanto este estava trocando as carnes do grill pelas carnes de crocodilo que ele trouxe. 
     - NÃOOOOOO!!! - Disseram eu, Francis e Nihon ao mesmo tempo.
     A carne de crocodilo não é muito boa grelhada, ainda mais que já tinham usado para grelhar picanha (foi um custo alto esta picanha). Resultado: não sei como, mas a carne de crocodilo grudou no teflon do grill. INUTILIZOU MINHA MÁQUINA!/RAGE. O silêncio na cozinha foi assustador.
     - Austrália, vai ter que comprar uma máquina nova pra mim. AGORA! - Disse isso, enquanto o Francis e o Nihon me seguravam.


     Enquanto isso, ninguém percebeu o aniversariante que chegava na porta da cozinha com aquela expressão "tonta" dele e antes mesmo que alguém lhe cumprimentasse, ele falou:
     - Thanks, Arthur. Fazendo molho barbecue, o meu preferido. - disse America, ligando o liquidificador sem a tampa da jarra.
     Resultado: nem preciso falar o estado dos cinco idiotas na cozinha. O piso da cozinha ficou limpinho, mas os cozinheiros ficaram temperados ao molho barbecue da cabeça aos pés. O coala, que até aquele momento, estava atarzanando a vida do francês, voltou aos ombros do Austrália e começou a lambe-lo. Francis começou a tirar a roupa e se dirigir para a varanda. Os outros resolveram fazer o mesmo: a única coisa sensata a se fazer, levar as roupas para a lavanderia, que ficava na varanda. Não antes do Alfred olhar pra coisa grudada no grill e perguntar:
     - O quê é isso aqui? - Disse até com uma expressão de nojo.
     - Nem me pergunte. - Eu, Francis e Nihon respondemos. 
     Imaginem cinco caras de cuecas carregando roupas melecadas para a máquina de lavar na varanda (que não era fechada). Correndo o risco de aparecer a polícia londrina e prender a todos por atentado ao pudor. Colocamos as roupas na máquina, e quando apertei a programação correta e íamos voltar pra minha casa, deparamos com o Francis pelado.
     - Não tem nada mais sexy do que andar pelado pela casa. Arthur, mon amour, vem aqui! Você despertou minha paixão. - E foi atrás de mim. Mas alguém mais alto e forte entrou na minha frente.
     - Hoje não! É meu aniversário e o Arthur é MEU! - Disse assustadoramente o America, com a cueca do Superman.
     - Você não tinha uma cueca melhor pra usar, não, Alfred-san? - perguntou o Nihon.
     - É a minha cueca da sorte. - Disse o americano, vermelho. - Mas você entendeu bem, né, Francis?
     - Arthur, não sabia que você era shotacon! - Disse o Francis rindo.
     Eu estava vermelho de raiva, com vontade de pegar aqueles dois louros burros e sentar uma panela de pressão na cabeça deles. Mas, por sorte, ou azar, prestei atenção no Nihon, que estava procurando algo e não achava.
     - Cadê minha máquina fotográfica?
     A pergunta foi respondida com a máquina de lavar fazendo barulhos estranhos, estalando e parar de repende. 
     - Eu acho que a sua pergunta foi respondida. - disse calmamente e, depois, desesperado, berrei - MINHA MÁQUINA DE LAVAR QUEBROU!!!/RAGE
     - Cadê o Austrália? - perguntou o Alfred, olhando para os lados.

     A resposta foi respondida depois, quando estávamos voltando para a cozinha (com o Francis segurando uma rosa nas partes pudentas), vimos o Austrália conversar com uma vizinha idosa (que lembrava certa pessoa da família real), só com sua cuequinha de coala. O dito cujo conversava animadamente com a velhinha, que depois fez um sinal de positivo para nós. Lógico que estranhamos tudo. Aí, fui prestar atenção nos outros elementos do lugar: ao lado da senhora, um carro oficial da família real da Inglaterra. Só não fui preparar uma forca pra mim, porque o Nihon e o Alfred me seguraram, além disso, o Francis escondia todas as coisas cortantes da cozinha. Enquanto estávamos naquela posição vergonhosa (de cuecas, segurado por dois caras e um outro na cozinha com cara de pedobear), apareceram pela porta interna da cozinha Canadá, Seychelles e New Zealand. Automaticamente, Matt tapou os olhos do New Zealand, enquanto Seycelles apareceu com uma peixeira e gritava aos quatro ventos:


     - FAZENDO SURUBA A ESSA HORA DA MANHÃ, O QUE OS VIZINHOS VÃO PENSAR! SEU BANDO DE PERVERTIDOS!
     - Se acalme, Sey-chan!
     - SEY-CHAN UMA OVA, SEU HENTAI! - Berrou a moça, mirando a peixeira pra cima do Nihon, que, com suas mãos nuas conseguiu parar a enorme faca.
      Nisso, um flash de luz cegou todos na cozinha, até na porta o Alfred berrar:
      - É A HUNGRIA, ELA TIROU FOTO DA GENTE ASSIM E FUGIU! - E ficou emando num canto da cozinha, falando coisas desconexas como "É uma vergonha para o meu país!", "My boss goes kill me!" etc.


      E, para piorar a bagunça, tocou o telefone da casa. Fui atender, enquanto o Matt era quase molestado pelo Francis, New Zealand de olhos tapados ainda, Sey e Nihon medindo forças, Alfred emando num canto e o Australia que nunca voltava da conversa com a minha "vizinha real". Escutei a voz de mais alguém entrando na cozinha, uma mulher.
     Atendi o telefone e reconheci a voz de um ser desagradável. Sim, meu irmãozinho Scotland.
     - Nossa, está tendo uma suruba na sua casa e nem me convidou? - "Como assim ele está sabendo da confusão aqui?", pensei.
     - Não, não está tendo nada de interessante, Scott. Porque você não vai cuidar do seu gado nas montanhas escocêsas?
   - Ah, porque esconder isso de mim. Eu sabia que você era especial. Vai no site: www.gossipyaoihentairandom.com . A dona do site postou umas coisas escabrosas.
     Enquanto Scotland falava umas abobrinhas pelo telefone, peguei meu note no escritório (e nisso, a situação na cozinha estava um caos) e fui acessar o site. Não tinha somente uma foto, mas várias, inclusive do Australia de cueca de coala conversando com a Rainha Elizabeth. Esta foto, inclusive, parou em 90% dos tablóides ingleses em menos de 5 minutos. Um recorde! Vergonha! MALDITA HUNGRIA! Terminei minha ligação com o meu irmão mais velho e fui ver em que pé estava a cozinha.

     Sey e Nihon estavam numa competição de pratos de frutos do mar. Isso mesmo! Pegaram os ingredientes do Francis e estavam cozinhando. Quem fizer o melhor prato, ficava comigo esta noite! WHAT! SEM O MEU CONSENTIMENTO?! Matt estava fazendo suas panquecas com maple syrup, enquanto o Francis fazia umas sobremesas suspeitas. Alfred estava embasbacado na porta da cozinha para a varanda, enquanto se protegia de uma moça asiática com um remo dando pancadas nele (Vietnam realmente estava estressada). Alguém muito louro e alto a estava ocupando o espaço da porta. Usava um cachecol suspeito e estava com a famosa cara de kolkolkol. Porém, estava só de cachecol e uma cueca suspeita. 
     - Vi as fotos da festa de hoje e resolvi dar um presente para o America, da. - Disse, sorridente, apesar do traje. - Ele está?
     Não sei como, mas o Alfred deve ter aprendido a "saída a francesa". Ninguém sabia onde o americano se encontrava. Putz, fiz esta festa pra comemorar algo em família e não pra virar festa da cueca! Vietnam, não percebendo da escapadela do americano, acabou acertando o remo no Ivan e foi correndo pedir desculpas e arranjar gelo. Assim, revelou que atrás do russo, tinha um chinês miúdo, com comidas chinesas pra entrega. Ainda bem que estava vestido normalmente.

      - Imaginei que vocês precisassem disso. - disse Yao.
     No fim, almoçamos agradavelmente comida chinesa, sushis, sashimis, atuns, pratos africanos, sobremesas francesas e bebemos vodka e cerveja (não muita, se já estávamos de cueca, imagina se estivéssemos no nível FULL de bebidas alcoólicas - só lembrarem das outras festas). Mais tarde, apareceu a Belarus em casa, mas nesse meio tempo, Ivan já tinha "picado a mula". 
      Os outros foram embora aos poucos, mas o Alfred não. Ele alegou que não queria dormir sozinho esta noite em sua casa. Além disso, não pretendia receber o presente do russo. Assim, deixei ele dormir em minha casa. *NÃO PENSEM EM BESTEIRA, ELE É MEU IRMÃOZINHO!

      Bem que eu tentei fazer algo simples e especial para os norte-americanos nesta segunda. Mas nossa família é doida demais para se fazer algo simples. 

See you soon, everybody.
[Offa: retirando a poeira do blog. Vou postar quando eu realmente tiver idéias legais para posts, então pode demorar algum tempo. Espero ter provocado bastante risos em vocês. Se eu receber boa aprovação, vai para o Nyah. Realmente, queria algo que desse duplo sentido, mas que não fosse nada a ver do que os outros pensassem. Espero que tenham gostado. E sorry por demorar tanto tempo para postar algo. - Crise criativa. Desculpem pelos erros que devem ter por aí. D:]
 

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Mother's Day...

Hello everybody...

     Depois da correria desta semana, em que estive totalmente ocupado, ora mandando o serviço secreto atrás do Francis e da Elizaveta (efeitos da festa da Páscoa - ainda) e expulsando uns paparazzi por aí (é, a nova mulher do Príncipe William nem pode ir ao mercado *facepalm), achava que iria ter um fim de semana tranquilo e sossegado. Me enganei feio. 


     Sábado realmente foi tranquilo mas o domingo... Imagina ser acordado às 6 da manhã e a cada hora receber ora uma cesta de café da manhã, ora um buquê de flores. Eu queria dormir até mais tarde, mas, depois das inúmeras tentativas, às 8 da manhã estava na cozinha preparando meu café. Achei que iria parar as bizarrices e nem reparei nos bilhetes que vieram nos presentes. Até que, perto das 11 horas da manhã, a campanhia toca e quando abro, sou abraçado por um loiro de óculos mais alto que eu e que berrava nos meus ouvidos:


     - HAPPY MOTHER'S DAY!
     - PELO QUE EU SAIBA, EU SOU SEU IRMÃO E NÃO SUA MÃE. - Completei com um cascudo na cabeça daquele americano energúmeno.
     - Ai, Arthur, doeu. E eu não vim sozinho. - Apontando para um carro que estacionou depois.
     Canadá saiu do banco do motorista, assim como Austrália, Nova Zelândia e até a Seychelles. 
     - QUEM FALOU PRA VCS QUE SOU MÃE? SOU MACHO, CARAMBA!
     - Sei, mamãe! - Disse a Seychelles naquela ironia típica.
     - Calma, Inglaterra, está tudo bem. Você nem vai precisar fazer o almoço. - Disse o Canadá, calmo.


     Resolvi deixá-los entrar e eles foram direto pra cozinha fazer sabe lá o que eles estavam planejando de almoço. (Confesso que fiquei com medo). Sempre que estes doidos aprontam, mandam o Alfred primeiro como batedor. Mas fizeram um almoço muito gostoso (Canadá e America fizeram questão de deixarem o Australia e a Seychelles longe da pia e do fogão - ninguém realmente queria morrer). Achava que seria apenas um almoço em família, até aparecer Scotland. É, meu irmão troll. E estava acompanhando por um certo loiro de olhos azuis, barbas por fazer e roupas francesas. Preparei o melhor soco inglês e as melhores armas. Aquele sun of bicth era meu alvo. Digamos que o encontro não terminou bem.

     Os vizinhos, incomodados, chamaram a polícia e ainda o Alfred filmou toda a briga. Nem conto como fizemos para não dar B.O. . Por causa disso, perdi meu chá das 17 horas. (rage)
     Para variar, descobri quem foi o troll que falou que eu sou mãe, o que não é verdade (não sou mulher, para começo de conversa): obra do Scotland troll, que, sem nada pra fazer, resolveu trollar seu irmão. Além disso, o Francis ajudou - e muito - e não sei como aqueles cinco cairam na lábia deles. No final, Canadá e Nova Zelândia tiveram que fazer curativos na gente, enquanto o Alfred botava o vídeo da briga no youtube.
     Saíram à noite, não antes de eles fazerem o jantar (visto que eu estava machucado e o Francês fedido também). Perto do que teve a tarde, foi um jantar normal (com Seychelles me cutucando, Alfred se achando, Matt sumindo, Australia dando comida pro seu coala, Nova Zelandia dormindo num canto, Scotland bebendo e Francis me cantando - Bônus: Kumajirou comendo e bebendo junto com Scotland).

      Na despedida, Zea me disse algo que, apesar da confusão, eu fiquei tocado:
      - Às vezes, mãe não é aquela que nos bota no mundo, mas alguém que cuida da gente.
      Sempre me imaginei como irmão mais velho deste povo. Não sou pai, nem mãe, mas os ajudei como pude (bem, às vezes não).
      Fiquei com aquela sensação de alívio quando eles saíram de casa. Agradeço até o que eles fizeram, mas, FICAR ME ACORDANDO DESDE AS 6 DA MANHÃ COM CAMPAINHA TOCANDO, ME CHAMAR DE MÃE E AINDA TRAZER O FRANCIS BONNEFOY PRA MINHA CASA FOI O CÚMULO DO ABSURDO! Podem aparecer para mais um almoço destes, contanto que não convidem o indesejável nº 1 (não, não é o Harry Potter, nem vou responder sobre isso).
     Pelo menos à noite, pude tomar meu chá tranquilamente. Sem visitas inesperadas.


See you soon...

[Off: Desculpem o post fail de Dia das Mães, mas precisava criar algo com isso e inventei essa história sem pé nem cabeça...D:]
 

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Day after, wedding and Bin Laden!

Hello everybody,

     Para vcs verem, a semana realmente foi cheia. Primeiro, vamos aos fatos da Páscoa. Eu, Kiku e Alfred acordamos na manhã seguinte com aquela ressaca histórica. Bom, o Kiku foi o primeiro a acordar, mas aparentemente ele estava embaixo de mim enquanto o Alfred estava de ponta-cabeça na cama com as duas pernas nas minhas costas. Resumindo: Nihon estava preso. Ao tentar sair, foi pisar no chão e pisou no peixe da Seychelles, escorregou e bateu a cabeça na cabeceira da cama. O barulho foi alto o suficiente para que eu e Alfred acordássemos. Notamos que estávamos só de cuecas na cama que mais parecia umy ninho de rato. Do lado que o Alfred saiu, tinha uma canoa onde ele conseguiu tropeçar e ficou de cara com a janela, coberta pela cortina preferida dele. Porém, tinha um animal provindo da Austrália que estava comendo a tal cortina. Lógico que isso virou motivo de escândalo.(E um motivo para o America convocar o FBI e investigar o caso). Fui procurar o Honda, já que estava atordoado ainda e o encontrei caido na caixa cheia de tomates e laranjas podres. Quando eu ajudei-o a se levantar, ele encontrou uma calcinha de rendas vermelhas (que até agora o dono, ou dona, não se pronunciou). Enquanto isso, o Alfred foi lamber o chocolate que ainda saia da fonte, mas ele queimou o dedo e quase criou uma 3ª Guerra Mundial no quarto.
       Até nós acalmarmos ele, fomos ao banheiro para jogar água fria, mas o Alfred trombou num piano que estava no meio do quarto (não sabemos como o piano não quebrou), pisamos em um monte de roupas (algumas de gosto duvidoso - só pode ser do Francis), pisei na aba de uma frigideira e escutamos um pio de um  limão coberto de chocolate (doeu pra burro, ainda mais quando o tal "limão" resolveu bicar meus pés e do Kiku), o Alfred deu conta de escorregar em uns canos espalhados e chutar em um escarpin de gosto duvidoso. Para piorar, se demos conta de que, além de estarmos de cuecas, o Alfred estava com um cachecol bem suspeito com marcas de batom vermelho e o Kiku estava de peruca verde bem estranha. Mas notei que nós três tinhamos unhas pintadas de rosa com gliter. *imaginem gritos de terror
     Fomos correndo para o banheiro-suíte do quarto procurar se o Alfred por acaso tinha acetona e nos deparamos com aquela cena que vai ser difícil sair de nossas mentes: Matt e Lady Gaga na banheira. Os dois estavam numa posição muito surreal para nós pararmos de olhar. Mas o Kiku conseguiu sair do transe, olhando para pia, que estava num estado lastimável de comida italiana de pobre. Na tampa do vaso sanitário, tinha uma carteira cor de rosa bem suspeita e uma câmera fotográfica. Cenas tensas estavam registradas nela (só vou postar algumas, não todas). Teve uma do Yao de batom vermelho beijando o Ivan que, de tão assustadora, prefiro ver a Rainha Elizabeth com aquele figurino de Gilbird do casamento. Como o dono não se manifestou, o Kiku pegou as fotos mais interessantes e deletamos o resto.









      Só não sonhei mais pesadelos esta semana porque teve o casamento do Principe William (é, tipo, ver o Príncipe Charles e a atual esposa e ainda ter estômago para comer caviar não é pra qualquer um). Pelo menos o bolo de chocolate estava ótimo e a organização, divina. Minha ressaca depois da festa não foi tanta quanto a da Páscoa, mas ainda sinto alguns flaches nos olhos por causa daquela roupa da Rainha. Por falar nisso, pra variar, o Francis não gostou do vestido da noiva, mas quem é ele perto da marca Alexander McQueen. Somente um terrorista do bom gosto pra falar mal, é claro. Por falar no casamento da semana, descobri onde os pombos vão passar a lua de mel, porém, a imprensa também está sabendo, então não é novidade. Sim, eles vão pra Seychelles. *facepalm SEYCHELLES, SE VC NÃO OS TRATAR BEM, SUAS ILHAS IRÃO AFUNDAR QUE NEM ATLÂNTIDA. Recado dado. Por falar em Seychelles, o resultado do concurso do melhor ovo de Páscoa: Seychelles ganhou disparado. Já mandei a cesta, Parabéns. *E por favor, pare de mandar coisas estranhas pra mim, o pessoal do zoológico de Londres está ficando maluco com aquele "urso australiano" que vc me deu de presente.
     Por último, nesta madrugada fui acordado por aquele maluco chamado America, que estava alegre e, bem, "se achando".    
     - NOW, I'M THE HERO! - Berrou ele no telefone.
     - O que aconteceu? - Falei irritado com voz de sono. Será que o Alfred não tem noção do que significa "fuso horário"?
     - Matei o Osama Bin Laden!
     - WHAT?! - Berrei incrédulo no telefone.
     Enquanto ele explicava como foi a operação, eu pensava com meus botões em quantas pessoas morreram por causa deste indivíduo. Lembro como se fosse ontem, aquela data fatídica, do Alfred ferido. Lembro também dos londrinos em Londres, nos trens e nos ônibus de dois andares (símbolo de nossa cidade), que o grupo que este indivíduo comandava arquitetou suas mortes. De tantas vezes que falaram que ele morreu e não estava. Das buscas, das guerras no Oriente Médio. É doloroso lembrar de tudo. Pedi para ele me mandar uma prova...E ele mandou. Agora não sei o que realmente sinto. Sei que vai ter volta e, portanto, ordenei alerta máximo em todas as nossas fronteiras, aeroportos, embaixadas, tudo. Sentimento de justiça feita, talvez? Na cabeça do Alfred sim, mas na minha...
     Agora vou ver se tomo meu chá....

See you soon...

Ps - Ainda não lembro o que ocorreu na festa da Páscoa...


[Off: desculpem pelo post fail e enorme...kkkkk...Espero que gostem]

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Hangover...

Hello, everybody...

     Depois de uma semana cheia (preparativos para o casório do Príncipe William), fui postar nos correios os presentes que comprei para a Belgium (quase esqueço - milady, desculpe o atraso). Vou colocá-los aqui para vc conferir depois.

     Um diário para vc anotar os mínimos detalhes de sua vida diária (inclusive seus encontros às escondidas com Lovino), os encontros não interessantes com o Espanha e suas brigas com o Netherlands. E para não fugir do chocolate, um sapato de chocolate pra vc. Espero que goste.






     Bom, sobre a festa na casa do America, por inúmeros motivos eu não lembro o que ocorreu. Mas quando eu acordei estava eu, Alfred e Kiku espalhados na cama de casal do America e, bem, quase nus. *vermelho Nem sabemos como paramos lá. Hoje, nós ficamos o dia inteiro procurando lembrar o que aconteceu (temos certeza que está faltando uma pessoa, que eu sinceramente quero matá-la depois da foto postada no blog do Roderich). Mesmo porquê nós três estamos com a sensação de que fomos violados. (Rezo sinceramente para que a versão do Roderich esteja correta e não aconteceu nada D: ). Ah, o America pediu para eu relacionar alguns objetos perdidos que encontramos no quarto onde estávamos. Lá vai:

- Um panda de estimação (que estava acabando com uma plantinha que tinha no vaso em um canto do quarto);
- Um atum perdido sem estar em um aquário (deve ser aquele atum - ou será que é peixe-espada - da Sey e o Kiku pisou nele sem querer);
- Tem uns canos e torneiras perdidas aqui (e não são da casa do America - medo);
- Um vestido de maid sujo de cerveja;
- Duas torres de chop dentro do banheiro (não sei se fizeram algo mais além de beber cerveja delas);
- Cosplay da Miku (com uma peruca verde-azulada junto);
- Duas fantasias de coelho (uma de corpo inteiro e outra de coelhinha da playboy);
- Mangás japoneses yaoi e yuri (com uma meleca esquisita numa das capas, blergh);
- Uma frigideira (com um limão melecado de chocolate que pia...errr...Gilbird dentro *What?!);
- Um piano de cauda (esse vou querer saber como conseguimos colocar dentro do quarto do Alfred);
- Um artigo de sex shop (que não quero saber a sua serventia ou se ele foi utilizado);
- Uma carteira cheia de euros (detalhe: é rosa e estampada com desenhos do Pequeno Pônei - excesso de purpurina também);
- DVDs do Village People (WHAT?!);
- Sapato de palhaço (não sei quem usou isso na festa e nem imagino como);
- Uma caixa de tomates e laranjas podres (não sei o que isso estava fazendo lá - detalhe: tinha uma calcinha de rendas vermelhas dentro desta caixa também);
- Um quadro de Leonardo Da Vinci (foi encontrado dentro da banheira - quem for o dono, venha buscá-lo e corra para a restauração);
- Uma fonte de chocolate (daquelas pequenas que vendem no shoptime - Alfred queimou o dedo nela ao acordar de manhã - estava em cima do criado do mudo);
- Um pote com cera quente (e vários papéis higiênicos com pelos grudados - avisando: eu, Alfred e Kiku estamos com nossos pêlos, então...);
- Uma pasta com molho vermelho e manjericão na pia do banheiro (não foi vomitado não, alguém fez a iguaria e jogo lá - tinha até uns talheres);
- Uma cueca boxer vermelha (estava na janela do quarto e comunicamos à vcs que eu, Alfred e Kiku não usamos cuecas vermelhas, então...);
- Um vidro de esmalte rosa pink com gliter (O FDP QUE FOR O DONO DESTA PORCARIA VAI PAGAR COM A VIDA - pintaram nossas unhas desta cor enquanto dormíamos Ç_Ç);
- Um cachecol branco (que estava sujo de batom vermelho e enrolado no pescoço do America quando acordamos);
- Uma câmera digital com 1534684 megapixels, mais um monte de tranqueirada profissional (sinto avisar que o dono perdeu suas fotos porque nós às deletamos);
- Um globo espelhado de discoteca que ficou debaixo da cama;
- Um narguilé (aquela budega onde em certos países tem gente que gosta de fumar);
- Duas metralhadoras calibre 65864587941 de fabricação suiça;
- Um escarpan de salto agulha que vira uma uma faca (e arma branca);
- Um remo e uma canoa esportiva amarela (parecia aquelas bananas gigantes.../tenso...tinha duas araras azuis dentro acorrentados e um macaco com um relógio rolex na cintura - não me perguntem mais nada);
- Um coala grudado na cortina de superman do quarto (fez o America ter um surto);
- A Lady Gaga com o Matt no banheiro (não me perguntem como eles pararam lá - encontramos os dois na banheira dormindo - Não veremos mais filmes de ets com os mesmos olhos);

    Já fiz minha parte de utilidade pública, agora postarei os ovos do pessoal que vai participar do concurso. (Votem com carinho).



O primeiro é o ovo mágico do meu alter ego purpurinado Britannia Angel.




O segundo ovo é da Sey, feito de sorvete de nata e macaron (biscoitos de chocolate). Ps - vou ignorar aquela bomba que vc chamou de ovo (depois do urso, vc quer que eu acredite na sua boa vontade?)


Agora os ovos do Roderich, cada um de um estilo. O primeiro, este que ele presenteou a Hungria.





O segundo do Rode é este que ele presenteou suas crianças (Chibitalia e HRE).



Mais um do Roderich (é, briguem com ele se der algum problema).







O último do Roderich (com coelhos grudadinhos de chocolate).






Agora o do Nihon, uma espécie de torta de ovo de páscoa (que parece muito boa, por sinal).


 Por último, os ovos do Greece. São típicos dos que ele costuma fazer todo ano.



     Escolham com carinho e marquem o nome do seu voto nos comentários deste post. O próximo post anunciarei o vencedor, que levará uma linda cesta de doces de Páscoa.
     Ah, sobre os achados e perdidos da festa, please, entrem em contato com o América, já que a bagunça se deu lá mesmo.
     Agora eu vou tomar uma aspirina e ver se tomo um chá para curar a ressaca.

See you soon

[Off: espero que tenham gostado do post, e por favor não deixem de votar - fiz isso para agitar as coisas, percebi que o pessoal anda postando menos, então...]

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Rabbit and Hobbits!

Hello, everybody

     Para variar, correndo contra o tempo. Com a crise econômica de Portugal e o casamento do Príncipe William, estou quase até o pescoço de tanta coisa para fazer. Pelo menos já enviei pelo correio os ovos de Páscoa que Britannia preparou pra todos os países. Por falar em ovos de Páscoa, eu remexendo em algumas coisas do escritório, encontrei uns desenhos do Sealand (pra variar) e lembrei de um acontecimento anos atrás.
     Tino e Berwald pediram para eu ficar com Sealand enquanto eles teriam uma semana de férias "românticas" e não poderiam ficar com Peter. Exceto a parte em que fui xingado quase todo dia de "Jerk", ele veio com uma pergunta curiosa, após termos assistido uma sessão no cinema do filme "O Senhor dos Anéis: O Retorno do Rei".


     - Jerk England.
     - O que é? - Eu um pouco irritado tanto pelo "jerk" quanto pelo trânsito caótico daquela tarde fria londrina.
     - Se Tolkien criou os hobbits baseado em coelhos, porquê eles não celebram a Páscoa?
     Eu, um tanto espantado com a pergunta do pivete Sealand, respondi.
     - Por quê você quer saber sobre isso? - Com cara de WTF.
     - Ah, porque comecei a comparar os hobbits com os coelhos.
     Não entendi muito o que ele quis dizer com isso, mas logo veio a surpreendente revelação.
     - Se for assim, Gilbert também é um hobbit.
     - WTF! Por quê? -Perguntei já quase rindo.
     - Ele tem todas as características de um coelho: olhos vermelhos, cabelos brancos e doa ovos de Páscoa todo ano. Mas ele não tem pés enormes e peludos e nem é pequeno. - Sealand ficou quieto por um tempo.
     Para ele ficar quieto, lógico que ele estava pensando em mais besteira.
     - Será que ele é uma espécie mutante de hobbit? - Perguntou Sealand, pensativo.
     Quase entrei pela rua errada depois dessa pergunta. Eu chorava de rir perante o raciocínio do pequeno.
     - Por quê você não pergunta para o próprio quando o vir?
     - E se ele for uma espécie de hobbit assasino?
     Desta vez, tive que parar o carro para rir e depois de me recompor, seguir em frente. Mas Sealand não deixava, com mais perguntas estranhas.
     - Bom, se o Gilbert é irmão do Ludwig, então ele é um hobbit também? Acho que ele se encaixaria melhor no perfil do hobbit assassino. - Quando ele falou isso, imaginei um hobbit com a cara do Germany com 3464646 armas de fogo e cara de mal - foi uma visão assustadora, mas engraçada.
     - Sealand, que tipo de filme você anda assistindo escondido de mim ou de seus pais? - Perguntei rindo, mas ele não deu a menor atenção e continuou com seu raciocínio.
     - E se o Ludwig gosta do Feliciano é porque ele é um hobbit também...
     Digamos que praticamente, depois deste longo raciocínio do pequeno Sealand, todos os países acabaram virando hobbits coelhos assassinos e mutantes naquela tarde longa. 


     Fui surpreendido pela campanhia da minha casa, o qual não foi surpresa encontrar o pessoal de entregas da fábrica da Belgium, com duas cestas de Páscoa enormes. Uma vou dar para uma pessoa especial (vermelho só de lembrar) e a outra eu fiquei pensando seriamente se iria ficar com ela. Resolvi então fazer um concurso para todos os países. O Ovo de Páscoa do Ano. Vamos às regras

 - É só preparar um ovo de Páscoa bem diferente e criativo.
 - Mandar a foto do ovo e como ele é feito (tipo, sabor, tamanho e características adicionais) até domingo da semana que vem. (Pode-se adiar a data de entrega).
 - Vou postar as fotos aqui no meu blog no domingo da Páscoa e cada um, pode, nos posts, votar no melhor.
 - Se houver empate, abrirei uma enquete no meu blog para desempate.
 - O resultado sairá no próximo post após a postagem das fotos dos ovos.
 - Eu não participarei para garantir a lisura do concurso. (Só não garanto se meu alter ego purpurinado fará o mesmo).
 - O ganhador levará a cesta de Páscoa que comprei a mais da Belgium. (Ando muito generoso ultimamente D:)


    Pensei no esquema da votação, porque, até pensei em colocar um juri (meus amigos imaginários) para experimentar os ovos, mas eles são altamente influenciáveis. Mas, quem quiser mandar o ovo do concurso para mim, eu agradeço. :D
    Por enquanto é só. 

See you soon.

[Off: Quem tiver dúvidas do concurso, podem perguntar nos comentários ou no chat. As fotos podem me enviar pelo chat, postagem no blog de vcs, ou por e-mail. E desculpem pelo post sem gracinha, mas, mesmo assim, espero que gostem. A cesta, vocês sabem, é de mentirinha...kkkkk]

domingo, 3 de abril de 2011

Vision from Hell!

Good afternoon, people!!!

     Agora, estou de volta à Londres. Infelizmente tive que deixar o Nihon, mas assim que eu puder, voltarei para ajudá-lo. Na verdade, o que me retirou da casa foi justamente o chamado da OTAN para resolvermos o assunto Líbia. Fora isso, até que minha estadia na casa do Nihon não foi tão ruim (leiam o post do Nihon *vermelho). O coelho que encontramos naquela noite e dei para o Nihon, acabou ficando comigo, mas ele está bem. *Olha pro lado e vê a Sininho brincando com ele.* Acho que ele sente a falta do Kiku. *vermelho*


     Quando chego em minha casa, abri a porta e quase me afoguei de tanto ovo de Páscoa. WTH! Qual não foi minha surpresa encontrar meu alter ego purpurinado arrumando os ovos para entregar aos outros países. Sabem qual foi a desculpa dele? "Você espera que eu deixe um desnaturado que nem você me fazer pagar mais um mico?! Não esqueço a indiferença sua na data mais importante do ano, o Valentines Day!" Eu somente repliquei, falando que a data mais importante é de uma pessoa que não quero revelar no momento. Ele ficou com aquela cara de WTF, mas me deixou em paz. Sua expressão quando eu sai para o meu quarto foi de que ele estava aprontando mais uma das dele. Pude arrumar minhas malas e um lugar pra Angel ficar.


     Porém, quando fui para a cozinha, ver se eu poderia comer algo da minha culinária (a comida do Nihon é boa, mas tenho saudades do meu bacon no café da manhã), me deparo com um Francis no meu fogão só de avental (eu sinceramente achei que ele tivesse tomado todas). Tive uma vontade imensa de furar meus olhos. Infelizmente, ele parecia muito lúcido pro meu gosto. Deve ser o estado normal daquele maluco, tenho dó dos funcionários que trabalham com ele no governo francês: todo dia vendo essa "visão do inferno". 


      - Com fome? - Perguntou o francês na maior cara de pau, entregando um prato de um crossant com algo bem francês pro meu gosto.
      - Você tirou meu apetite, seu energumeno! - Disse, irritado. Pensei "SERÁ QUE NÃO POSSO TER UM CAFÉ DA MANHÃ EM PAZ COM MEU BACON!" - Qual a razão para você estar deste jeito na minha cozinha?
      - Queria fazer algo especial, sabe. - Disse ele, fazendo voltinhas com seu dedo em meu peito, me irritando mais ainda. - Britannia disse que você deveria relaxar um pouco.
      - BRITANNIA SUN OF A BITCH!!! - Berrei irado e fui atrás daquela fada de penas, isso, com o pedobear no meu encalço.
      - Iggy, mon amour, posso explicar... - Andando pela casa atrás de mim naquele estado.
      Cheguei na sala de estar, mas não encontrei o anjo purpurinado, só os ovos espalhados, o que me deixou mais profundamente irritado. Venho na minha casa para resolver negócios, deixo o Nihon precisando da minha ajuda e esses seres "from hell" me fazem essa sacanagem. Como Britannia pode ser "from hell" e eu não? Eu não sei a resposta. Mas, enquanto procurava aquele anjo penado, o telefone tocou.
      - Hi!
      - Hi! THE HERO IS HERE!!! - Minha paciência não estava boa nem com o Alfred.
      - Fala rápido, Al, estou com problemas em casa.
      - Estou pensando em fazer uma comemoração da Páscoa aqui em casa. Você não quer vir?
      - Eu vou se eu conseguir exterminar umas pragas aqui em casa. Argh! - Fui agarrado por trás pelo Francis Pedobear, e eu lutava para sair do domínio dele, e atendendo o telefone. Depois quem é o "hero" é o America, eu não entendo.


      - Algum problema aí, Iggy? - Parece que ele ouviu alguma coisa.
      - Só exterminando uns animais que apareceram na minha casa. - Nunca que iria assumir que Francis estava me agarrando por trás seminu. - Alfred, depois te ligo para saber dos detalhes.
      Desliguei o telefone, mas não conseguia me desvencilhiar daquele francês sem vergonha. O bastardo tava tentando tirar minha roupa! Até que, eu não tinha percebido sua presença, mas Angel, o coelho que dei pro Nihon, pulou no rosto do Francis e, bem, fez "necessidades básicas" na face daquele maluco. O cara deu grito a lá "Vera Verão" e falou que eu deveria exterminar os coelhos, chamando-os de pragas. Uma coisa que aprendi desde pequeno é: NUNCA EXTERMINAR COELHOS! Eles são legais e não tentam me agarrar por trás. Aproveitei da distração de Angel e toquei o Francis para fora de casa. Daquele jeito. *imaginem Iggy trollface aqui* Liguei para a polícia e prenderam o francês por atentado ao pudor.


       O coelho recebeu sua recompensa, é claro: uma cesta enorme de cenouras. Angel me salvando daquele jeito me fez pensar. Será que realmente o que eu sinto pelo Nihon é apenas amizade e Angel percebeu algo maior que isso? Preciso conversar sobre isso com alguém, mas estou perdido demais. Melhor dar tempo ao tempo. Eu acho.

See you soon, everybody!

Recados:

America: Aceito ir na sua festa da Páscoa. Me fale a data e o horário que aparecerei por lá.
Nihon: Assim que eu liberar de alguns compromissos, volto para te ajudar. *vermelho*
Francis: Aproveite a estadia na cadeia. *trollface*
Gilbert: FRANCIS QUER MATAR COELHOS! Faça alguma coisa (não me prejudicando, está tudo certo).
Britannia: O teu tá guardado, pode deixar! *Expressão sombria e maléfica.

[Off: Espero que gostem do meu post. Não sabia o que escreveria hoje, então, curtam bastante, com insinuações AsaKiku e USFr. Será que Iggy está dividido? Comecem suas apostas. *trollface* Mais idéias para bagunçar ainda mais a vida amorosa do Iggy, aceito sugestões. E quanto a festa da Páscoa, deixo como sugestão para vocês decidirem. Faz tempo que não fazemos algo do tipo. Tipo, faz no chat e depois descreve no blog. Só sugestão.]

domingo, 20 de março de 2011

Gifts for Italia!

Hello, everybody...

     Estou postando aqui rapidamente para entregar os presentes do Feliciano, Lovino e Chibitalia. Ainda estou com o Nihon, porque ele precisa muito de mim *vermelho*. Então, não sei como serão os presentes, já que comprei via internet.
     Para o Feliciano, descobri através do Nihon que ele gosta de desenhar. Então dei para ele um kit de desenho.





     E mais esse conjunto de vários tipos de pastas (embora ele saiba mais sobre elas do que eu).




    
     E, eu vendo pela internet, descobri que estava a venda essa cortina inusitada. Então, resolvi mandar entregar para ele (bem, ele só sabe dizer "Pasta!", mais adequado para a casa dele, não?!).




   
     Para o Chibitalia, que também gosta de desenhar, mandei dois presentes. Um estojo de desenho adequado para a idade dele (ignorem o Buzz Lightyear - personagem do America D:).



     O outro é para estimulá-lo ao mundo das artes.





     Para o Lovino, procurei algo que tenha a ver com utilidades para o seu dia-a-dia. Primeiro, esta máquina de distribuir vinho. (Comprei uma para mim, embora eu não beba muito vinho - NÃO CONTEM PARA O FRANCIS).




     Agora, esse é para quando o Spain passar da linha.




    
     E por último, é para quando o pau de macarrão não funcionar (além da utilidade doméstica). Um faqueiro maravilhoso.





     E resolvi comprar um bônus para os três (eu estava generoso no dia que comprei - na verdade comprei este acessório para mim também). Para quem se enrola ao cortar uma pizza, a solução:



     O Nihon comprou uma para ele também. Aproveitei e comprei umas novidades pela internet. Comprei este abajur inusitado para minha casa recém-reformada. (Embora tenha gente que afirme que sou um terror na cozinha, o que é uma grande mentira! D:).


     Comprei curioso para saber como seria uma pasta de dente deste sabor. Ah, não se preocupe, mandei um exemplar dela para vc, America.


     Este aí o Nihon gostou muito, então comprei para ele. *vermelho*





     Por enquanto é só. Continuo aqui, ajudando o Nihon nos resgates. Esperamos começar a reconstrução logo logo.



See you soon!

[Off: NÃO ME BATAM!!! D: Post ultra fail...Espero melhorar no próximo. ]